Buscar
  • Sua Marca

10 dicas para jovens empreendedores



Nos dias atuais, cresce a cada dia a vontade de ter o próprio negócio. Seja para ter mais autonomia, para conciliar vida pessoal com a profissional, seja para se libertar de um emprego que não lhe satisfaz. E com o surgimento da pandemia, o desemprego aumentou, logo uma alternativa para pagar as contas é empreender. Todavia, nem tudo são flores. Ao ver nas redes sociais empreendedores de sucesso, não se imagina os percalços e as dificuldades que essas pessoas enfrentaram para chegar aonde queriam.


Para os jovens, atualmente, conseguir o primeiro emprego não é fácil. Diante de tantas exigências das empresas para se contratar alguém, exigindo experiência, inglês e informática avançados, dentre outros obstáculos, fica cada vez mais difícil trabalhar para alguém. Então, o empreendedorismo torna-se uma saída viável. Nesse texto, vamos mostrar alguns itens para você, jovem empreendedor, não se iludir e ter os pés no chão na hora de abrir o seu próprio negócio. Abaixo, algumas dicas importantes, segundo o blog King Host e o site Pequenas Empresas Grandes Negócios:


1- Trabalhe com o que gosta


Busque uma atividade com a qual você possua afinidade e que também o inspire. Empreender em algo só porque todos estão fazendo pode ser uma roubada. Trabalhar com o que não gosta, pode acarretar doenças físicas e mentais como ansiedade e depressão. Retorno financeiro é importante, mas é preciso que o trabalho seja ao menos agradável. Isso não quer dizer que você vai viver para trabalhar, mas como você passará a maior parte do dia trabalhando, essas horas precisam ser pelos menos agradáveis.


2- Encontre o público-alvo


Você precisa ter em mente o seguinte: para quem você quer vender? Segundo o Site da Revista Exame descobrir quem é o seu cliente é primordial para quem quer ter sucesso como empreendedor. Descobrir como ele pensa, o que ele gosta, se ele recomendaria o seu negócio são necessários para o empreendedor ter êxito em seu negócio.


3- Analise a concorrência


Segundo o Blog Lexos, conhecer a concorrência pode ser uma oportunidade para se diferenciar no mercado. Segundo esse mesmo blog, um processo utilizado é o benchmarking, que consiste na análise de três ou quatro concorrentes do mercado, com o objetivo de aprender com suas falhas e erros. A finalidade do benchmarking é aplicar as experiências das outras empresas na sua, realizando as alterações necessárias. Vale ressaltar que somente o empreendedor sabe o que é melhor para sua empresa. Ele deve pesquisar os concorrentes e assim tomar suas próprias decisões.


4- Realize Testes


Faça testes dos seus produtos ou serviços. E sim, você pode procurar pessoas da família e amigos para experimentar o que você produz. Esses testes são importantes para se avaliar uma futura reação do público. Porém, o próximo passo deve ser dado. Ficar somente na sua bolha de família e amigos, pode gerar uma zona de conforto e o empreendimento ficar estacionado.


5- Registre a sua marca


Registrar a marca é um dos atos mais importante da sua empresa. Ela constitui a identidade de uma empresa, isto é o cartão de visitas do seu produto/serviço. O registro da marca no INPI concede direito exclusivo da empresa de explorar a marca em todo o território nacional. Com o registro, a empresa terá o direito de impedir que terceiros explorem a sua marca indevidamente, impedindo a concorrência desleal, além de dar maior credibilidade.


O contrário também poderá ocorrer. A empresa que não registrar a sua marca no INPI, poderá perder o direito de explorar essa marca se um terceiro espertamente a vir, registrá-la primeiro e ainda impedir de você continuar usando-a, podendo ajuizar uma ação judicial. Então, todo o investimento que a empresa fez estará perdido e as chances de ganhar dinheiro por meio da exploração dela, também.


A ausência do registro de marcas poderá acarretar muitos danos para o empreendedor. Um deles é que ele pode estar usando uma marca que pertence a uma outra pessoa/empresa. Como já exposto acima, essa pessoa/empresa poderá exigir que ele pare de utilizar a marca como também poderá ajuizar uma ação judicial e pedir indenização. Outro transtorno ao não registrar a marca é que seu concorrente poderá usar um nome ou logotipo de marca igual ou semelhante ao seu, com riscos desse concorrente registrar primeiro e o pequeno empresário estar impedido de usar essa marca.


6- Divulgação


No mundo em que a internet possui uma força gigante, a maior forma de divulgação está nas redes sociais. Um bom começo é a criação de uma conta no Instagram e criar um site. Por meio do Instagram e do site é possível realizar vendas online e assim economizar custos com lojas físicas.


7- Seja realista nas finanças


O jovem empreendedor ao tomar a decisão de empreender, deve ter em mente que não haverá um retorno financeiro imediato. Por essa razão, é importante ter um cuidado financeiro e possuir reservas nos primeiros meses em que ficar no “vermelho”. É preciso saber o quanto se pode investir e quanto tempo pode-se aguentar antes de haver qualquer retorno. Em regra os empreendedores, gastam além do esperado no investimento inicial. E juntamente com a demora do retorno financeiro, o jovem empreendedor pode ficar impossibilitado de continuar mantendo o seu negócio. Portanto, o planejamento financeiro é essencial.


8- Use a internet a seu favor


A internet é uma importante fonte de informação. Lá se encontram inúmeras informações sobre empreendedorismo, marketing digital, dentre outros. E a vantagem é que pode ser acessada de qualquer lugar, basta ter um celular em mãos.


9- Encontre um mentor


É muito importante encontrar alguém com experiência, diligente e que o inspire. Ao ter essa pessoa por perto, o jovem empreendedor se sentirá mais motivado e poderá obter uma rede de contatos, que será decisiva para a ascensão da sua empresa


10- Cuide de sua saúde


Essa é uma das dicas mais essenciais. No mundo capitalista atual, há a ideia de que é preciso constante produtividade. O ócio é proibido. O ser humano sempre precisa estar fazendo algo, caso contrário há a sensação de dever não cumprido e em consequência a auto cobrança. Isso pode gerar danos a saúde física e mental do jovem empreendedor. O ser humano é falível, portanto trabalhar mais do que o seu corpo aguentar pode trazer muitos danos. Trabalhar para viver não viver para trabalhar. Logo, alimente-se bem, beba bastante água, durma as horas de sono necessárias e pratique exercícios físicos. Não permita que o trabalho impeça você de se cuidar.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo